No último dia 24 de maio, no Sesc Santo Amaro, fiz com a flautista Diana Mota um recital repleto de emoções.

As emoções começaram às vésperas da viagem. Havia uma pedra no meio do rim, e ela resolveu descer. Em geral essa dor é descrita como a pior que uma pessoa pode sentir. Essa já é a terceira vez que elimino um cálculo renal, e felizmente foi a que menos doeu. Mas qualquer um fica inseguro se a dor ficará sob controle até o momento da apresentação.

A maior emoção foi com relação à logística. O desafio era sair de Brasília às 6h da manhã, chegar em Campinas, ir a São Paulo, se apresentar, e chegar no aeroporto de Guarulhos em 1h30min após a apresentação – numa sexta à noite, na capital do engarrafamento.

A ida foi super tranquila, e a chegada ao Sesc Santo Amaro foi melhor ainda. Quando morei em São Paulo – minha graduação em música foi na USP da capital paulista -, não tive a oportunidade de conhecer esta unidade, e fiquei surpreso com um local vibrante, cheio de vida, diverso, com pessoas de várias idades e estilos de vida.

O recital foi muito bom. Passeamos pela musica da Espanha, Brasil e Argentina com o foco na formação da identidade. Ao olhar pra identidade musical de cada um desses países, olhamos pra nossa própria identidade. Por exemplo, a música da Espanha é filha da Europa com a Arábia. Somos, então, meros reflexos dos nossos pais? Somos apenas o que herdamos? Astor Piazzolla, por sua vez, teve uma vida que o conduziria para caminhos diferentes que ele andou – ele começou a estudar música em Nova York, por exemplo. E nós? Quanto de nós é intrínseco a nós mesmos e quanto as circunstâncias nos deram? Foi com essas questões que passeamos por belas obras musicais.

Ao sairmos do Sesc Santo Amaro pontualmente, um Uber já nos aguardava. Chovia levemente no momento. Mas Wagner, com segurança e agilidade, nos deixou em tempo de chegarmos à sala de embarque enquanto a fila de passageiros lentamente ia em direção à aeronave. À meia-noite, exaustos mas felizes, Diana e eu chegamos de volta a Brasília.

Vamos tocar novamente esse programa em Brasília. Confira abaixo:

05 de jun, quarta, 12:30
Auditório do Departamento de Música (em frente ao Restaurante Comunitário, próximo ao Banco do Brasil) – UnB – Brasília, DF, 70297-400, Brasil
Share This